Tecnologias e ferramentas possíveis no cuidado de reabilitação neuropsicomotora

Sabe-se que a tecnologia está, diariamente, avançando cada vez mais. Por onde andamos, somos capazes de notar que aparelhos tecnológicos estão em constante processo de evolução. As grandes empresas almejam eliminar progressivamente os erros que surgem nos novos sistemas de informações e tornar seus equipamentos cada vez mais úteis. Quando associamos a tecnologia a prática do cuidado, podemos obter novas possibilidades de intervenção e, portanto, propiciar aos sujeitos melhores condições em restabelecer seu quadro de saúde considerado como ideal. Se observarmos o progresso da tecnologia e seu uso no trabalho desempenhado pela enfermagem, poderemos concluir que os profissionais atuantes nessa área adaptam-se ao advento da tecnologia e tentam buscar novos conhecimentos que contribuam para seu crescimento profissional e pessoal.

“A discussão da produção tecnológica da Enfermagem para o campo da tecnologia apropriada, descreve uma ampla variedade de tecnologias já definidas ou novas, que se caracterizam pelo custo reduzido, pela capacidade de satisfazer necessidades básicas mais carentes, pelo uso racional e por um elevado grau de adaptação ao ambiente local, cultural e social.” (BARRA et al., 2006, pg. 428)

Tive a oportunidade de participar de alguns laboratórios de estudos na Fäkultat Rehabilitationswissenschaften da Technische Universität Dortmund (TU Dortmund), aqui na Alemanha. Até o momento, entrei em contato com duas inovações fantásticas que me fizeram refletir sobre a necessidade de novos investimentos nesta área, principalmente no Brasil, uma vez que entrei em contato com estas tecnologias apenas aqui. A primeira tecnologia que me foi apresentada foi o GoTalk20+, e vou explicar seu funcionamento logo abaixo.

O GoTalk20+ permite que o aprendizado de novas palavras seja facilitado através de um sistema inteligente de gravação/repetição/escuta das palavras. Inicialmente, você deve clicar sobre a palavra/expressão que deseja aprender, ouvir a voz emitida no aparelho e em seguida gravar sua tentativa de repetição. Assim, é possível que se aprenda novas palavras comparando os resultados apresentados em cada repetição e o modelo ideal proposto pelo GoTalk20+. Vale ressaltar que os itens podem ser alterados, pois há diversas versões de cartões contendo 20 novas palavras/expressões. Pude associar esta nova tecnologia ao cuidado de indivíduos com dislexia ou sujeitos que estão em processo de reabilitação de linguagem. Fantástico! 

A segunda tecnologia que pude conhecer foi uma combinação de reconhecimento facial com mouse virtual. Seu funcionamento consiste no uso de uma webcam para leitura de movimentos faciais e posteriormente sua associação aos movimentos de um mouse que se move de acordo com os movimentos apontados pela webcam. Fui desafiado a escrever um e-mail utilizando a tecnologia e bem, esta não foi uma tarefa nada fácil. Demorei cerca de 30 minutos para escrever um e-mail de 2 linhas, algo que não demoraria mais do que 2 minutos se estivesse utilizando minhas mãos. Durante o uso, imaginei como esta tecnologia poderia fazer a diferença na vida daqueles que possuem limitações em sua mobilidade, especialmente os tetraplégicos. Outra ferramenta preciosa que encontrei somente aqui, na Alemanha. Incrível! 

Quelle: naturalpoint.com

À medida que vou participando dos laboratórios de estudos, percebo que  a curiosidade de se encontrar novos meios para conectar os cuidados prestados em reabilitação neuropsicomotora aos novos dispositivos do mercado tecnológico. O que ainda devo investigar é, claro, se esta curiosidade também está presente em meu país de origem ou se pelo menos há o esforço da classe da Enfermagem em tornar este um bem comum para as pessoas com deficiência.

REFERÊNCIAS

Barra DCC, Nascimento ERP, Martins JJ, Albuquerque GL, Erdmann AL. Evolução histórica e impacto da tecnologia na área da saúde e da enfermagem. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2006;8(3):422-30. Available from: http://www.fen.ufg.br/revista/revista8_3/v8n3a13.htm

* Texto elaborado por Elias Tristão da Silva Neto, membro do Núcleo de Pesquisa e Atenção em Reabilitação Neuropsicomotora (NEUROREHAB).

 

Uma ideia sobre “Tecnologias e ferramentas possíveis no cuidado de reabilitação neuropsicomotora

  1. Bom dia!

    Sou Claudia Daniella, doutoranda da Universidade Federal do Piauí e estou desenvolvendo uma tecnologia educacional para pacientes que realizam cateterismo intermitente. Gostaria, se possível, de manter contato com Naira Favoretro, por e-mail.
    Parabéns pelo Neuroheab!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *